Convite de May a Trump para visita de Estado gera protestos em Londres

Londres, 4 fev (EFE).- Milhares de pessoas se manifestaram neste sábado em Londres contra o convite do governo britânico para que Donald Trump realize uma visita de Estado ao Reino Unido e a política migratória "racista" do presidente americano.

Convocados por organizações como "Stop the War", "De pé contra o racismo" e a Associação muçulmana do Reino Unido, os cidadãos se reuniram diante da embaixada dos Estados Unidos em Londres e marcharam rumo a Downing Street, residência oficial da primeira-ministra britânica, a conservadora Theresa May.

Com cartazes como "Não há bodes expiatórios muçulmanos", "Não a Trump" ou "Theresa May, vergonha", os participantes pediram que May condene a política migratória de Trump.

O presidente dos Estados Unidos causou comoção ao assinar em 27 de janeiro uma ordem executiva, agora suspensa pelos tribunais, que revoga o programa de amparo de refugiados desse país durante 120 dias e a recepção da maioria de refugiados sírios.

Além disso, a ordem suspende durante 90 dias a obtenção de vistos em sete países com maioria muçulmana considerados com histórico de terrorismo (Sudão, Líbia, Iraque, Somália, Síria, Iêmen e Irã).

As medidas ditadas pelo líder republicano suscitaram uma inundação de críticas no Reino Unido, onde a oposição política e mais de 1,8 milhão de cidadãos -que assinaram um pedido pela internet- pediram a May que anule o convite ao presidente para realizar uma visita de Estado ao Reino Unido.

O pedido "online" diz que o presidente poderia fazer uma visita oficial para se reunir com May, mas argumenta que uma visita de Estado com Elizabeth II como anfitriã "envergonharia" a rainha.

Visto o número de assinaturas recolhidas pela proposta, o parlamento -que requer um mínimo de 100 mil para analisar os pedidos cidadãs- anunciou que a debaterá em 20 de fevereiro, embora não prevê que haja uma votação.

Theresa May convidou Trump a realizar uma visita de Estado ao Reino Unido, em uma data ainda por determinar, depois de se reunir na semana passada com ele na Casa Branca.

Apesar das críticas por esta decisão, um porta-voz de May confirmou que a visita do presidente seguirá adiante, pois a "premier" "está muito contente" de tê-lhe convidado e tem "muita vontade" de recebê-lo.

A manifestação de hoje em Londres ocorre depois que na segunda-feira dezenas de milhares de pessoas se manifestassem também pelos mesmos motivos em vários pontos do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos