Trump culpará sistema judiciário se "algo acontecer" após suspensão de veto

Washington, 5 fev (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou neste domingo que o sistema judiciário do país será o culpado se "algo acontecer" por causa da suspensão de seu veto migratório, e que seu governo está examinando "muito cuidadosamente" os imigrantes e refugiados que chegam ao país agora que o decreto está bloqueado.

"Simplesmente não posso acreditar que um juiz tenha posto nosso país em tanto perigo. Se algo acontecer, a culpa será sua e do sistema judiciário. As pessoas estão entrando (no país). Ruim!", escreveu Trump em sua conta oficial no Twitter.

"Instruí o Departamento de Segurança Nacional a examinar as pessoas que chegam a nosso país MUITO CUIDADOSAMENTE. OS tribunais estão dificultando muito este trabalho!", acrescentou Trump.

Na sexta-feira passada, o juiz federal James Robart bloqueou provisoriamente, enquanto revisa o caso, o veto que desde 27 de janeiro impedia temporariamente a entrada no país dos refugiados de todo o mundo e dos cidadãos de Líbia, Sudão, Somália, Síria, Iraque, Irã e Iêmen.

Trump criticou diretamente o magistrado Robart neste sábado, ao chamá-lo "suposto juiz" e acusá-lo de "arrebatar do país a capacidade de aplicar a lei".

Sua mensagem de hoje vai além, ao sugerir que será sua culpa se houver um ataque terrorista no país que, segundo sua opinião, possa ser vinculado ao bloqueio de seu veto, cujo objetivo declarado é evitar a entrada no país de possíveis terroristas.

No sábado à noite, o governo de Trump iniciou um processo de apelação da decisão do juiz Robart, que ia acompanhado de um pedido à Corte de Apelações para que restaurasse o veto que tinha sido bloqueado pelo magistrado.

O tribunal de apelações rejeitou hoje esse último pedido e deixou, portanto, em vigor a decisão que abriu de novo as portas do país a milhões de imigrantes e refugiados.

No entanto, a Corte também pediu aos litigantes no caso - os estados de Washington e Minnesota, contrários ao veto migratório - que lhe apresentem argumentos a favor de sua posição e ao governo de Trump que faça o mesmo.

Os especialistas consideram muito provável que o caso acabe na Suprema Corte, que atualmente está dividida entre quatro juízes de tendência conservadora e outros quatro de inclinação progressista, à espera que o Senado confirme um nono juiz indicado esta semana por Trump, Neil Gorsuch.

Enquanto isso, muitos imigrantes tentam aproveitar a suspensão do decreto de Trump para chegar aos Estados Unidos, depois que o Departamento de Estado devolveu a validade a maioria dos 60.000 vistos que tinha revogado e as autoridades migratórias deixaram de implementar o veto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos