Novas revelações sobre sua esposa aumentam pressão sobre campanha de Fillon

Paris, 7 fev (EFE).- Penelope Fillon, esposa do candidato à presidência da França, François Fillon, embolsou 45 mil euros em duas indenizações por demissões pagas pela Assembleia Nacional, informou nesta terça-feira a revista "Le Canard Enchaîné" em uma nova revelação que afeta à campanha do conservador.

A revista satírica detalhou que Penelope recebeu os primeiros 16 mil euros em agosto de 2002, uma quantia que equivalia a cinco meses de salário e que foi concedida apesar de um mês antes ela já ter encontrado outro trabalho como assistente parlamentar com o deputado que substituiu seu marido, Marc Joulaud.

Os outros 29 mil euros foram recebidos em novembro de 2013 e em conceito de "gratificações", ao cessar seu último contrato.

Por outro lado, o jornal "Le Parisien" acrescentou hoje que durante um ano e meio, entre 2012 e 2013, Penelope esteve ao mesmo tempo empregada em tempo integral como assistente de seu marido e como colaboradora literária na revista "Revue dês deux limpes", mas Fillon só comunicou aos investigadores este segundo trabalho.

O advogado de François Fillon, Antonin Lévy, considerou que não há "nenhuma incompatibilidade" e que "é questão de organização do tempo", segundo o "Le Parisien", que se pergunta se Fillon quis esconder o trabalho de sua mulher como assistente nesse período.

O jornal lembra que os deputados se viram obrigados a preencher a partir de janeiro de 2014 uma declaração de interesses e patrimônio perante a Alta Autoridade da Transparência da Vida Pública, e que foi apenas dois meses antes, em novembro de 2013, quando se pôs fim ao contrato de Penelope na Assembleia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos