Argentina vê oportunidades para a América Latina em protecionismo de Trump

Buenos Aires, 8 fev (EFE).- O governo da Argentina afirmou nesta quarta-feira que a chegada de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos representa uma "mudança muito importante" no mundo e disse que as políticas protecionistas do republicano "abrem oportunidades" para os países da América Latina.

"É preciso sermos muito cautelosos, analisar muito bem o que está ocorrendo e aproveitar as oportunidades que se abram com essas mudanças que surgem após a vitória de Trump", afirmou a ministra das Relações Exteriores e de Culto da Argentina, Susana Malcorra, em entrevista à rádio "La Red".

Para a chanceler, ainda é cedo para avaliar as decisões tomadas pelo presidente americano, que está apenas há duas semanas no poder, mas Malcorra avaliou que a chegada de Trump à presidência representa uma mudança muito importante após o que foi construído desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

Malcorra afirmou que o fato de Trump ter uma visão voltada para dentro dos EUA, que privilegia o mercado interno e relega a um segundo plano os acordos multilaterais, é um "sinal para o mundo". "Essas mudanças geram outras mudanças, uma reação, e isso são oportunidades para a Argentina e os demais países da região", disse.

A chanceler afirmou que o México, que era um parceiro "absolutamente privilegiado" dos EUA, passou a estar na "mira" de Trump pela renegociação do Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta). Isso fez com que o governo de Enrique Peña Nieto comece a olhar para o sul "muito fortemente".

Para Malcorra, o mesmo está ocorrendo com a União Europeia, que, depois da paralisação da negociação de um acordo de livre-comércio com os EUA, colocou como prioridade fechar um pacto com o Mercosul.

Ontem, a chanceler acompanhou o presidente do país, Mauricio Macri, e outras autoridades em uma visita de Estado ao Brasil, considerado por ela como "fundamental" para o comércio da Argentina.

"É um vizinho enorme, com uma capacidade, energia e potência muito grandes, das quais dependemos de uma maneira significativa, tanto em nível bilateral, como regional", afirmou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos