Erdogan e Trump prometem seguir combatendo juntos o Estado Islâmico

Istambul, 8 fev (EFE).- Na primeira conversa telefônica entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o chefe de Estado da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, ambos prometeram seguir combatendo o grupo terrorista Estado Islâmico (EI), informou nesta quarta-feira a agência turca "Anadolu".

Em uma conversa de 45 minutos que aconteceu ontem, Trump tratou a Turquia como um aliado estratégico da Otan e agradeceu "o compromisso partilhado de combater o terrorismo em todas as suas formas".

Segundo fontes da presidência turca, Erdogan pediu a Trump que não apoiasse o curdo-sírio Partido União e Democracia (PYD, sigla em curdo), e a seu braço armado, as Unidades de Proteção do Povo (YPG), que a Turquia considera uma filial da guerrilha do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), grupo classificado como terrorista pelos Estados Unidos.

Os dois líderes também conversaram sobre as operações contra os jihadistas nas cidades sírias de Al Bab, assediada por forças turcas e milícias aliadas sírias, e Al Raqqa, sobre a qual as milícias curdo-sírias e árabes lançaram uma ofensiva com apoio dos EUA.

Por outro lado, o diretor da CIA, Mike Pompeo, visitará amanhã a Turquia pela primeira vez desde que assumiu o cargo, informou a emissora "CNNTÜRK" citando uma fonte da presidência turca.

A milícia curdo-síria YPG e a confraria do islamita exilado na Pensilvânia, Fethullah Gülen, a quem o governo da Turquia acusa de orquestrar a tentativa fracassada de golpe de Estado de 15 de julho do ano passado, estão na agenda da visita de Pompeo à Ancara.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos