Indicado para Supremo dos EUA critica comentários de Trump sobre juízes

Em Washington

  • Brendan Smialowski/AFP Photo

    Neil Gorsuch disse que ataques ao Judiciário são "decepcionantes" e "desmoralizantes"

    Neil Gorsuch disse que ataques ao Judiciário são "decepcionantes" e "desmoralizantes"

O indicado por Donald Trump para cobrir a vaga aberta na Suprema Corte dos Estados Unidos, Neil Gorsuch, afirmou nesta quarta-feira (8) que as críticas do presidente americano a um juiz federal e ao Judiciário do país são "decepcionantes" e "desmoralizantes", segundo confirmou seu porta-voz.

"Ele me disse que está decepcionado pelos comentários desmoralizantes e aborrecíveis que o presidente Trump fez sobre o sistema judiciário", afirmou hoje a jornalistas o senador democrata Richard Blumenthal após reunir-se em particular com Gorsuch.

Ron Bonjean, um porta-voz de Gorsuch, confirmou mais tarde à emissora "CNN" e a outros veículos de comunicação que o juiz havia "usado as palavras decepcionante e desmoralizante" em referência aos comentários de Trump, que na semana passada lhe nomeou para se transformar no nono integrante do Supremo.

Trump criticou neste fim de semana o magistrado federal James Robart, que na sexta-feira bloqueou com efeito imediato seu veto migratório, ao chamar-lhe de "suposto juiz" e acusar-lhe de "arrebatar do nosso país a capacidade de aplicar a lei".

No domingo, Trump foi além ao declarar que esse juiz e o sistema judiciário do país em geral serão os culpados se "acontecer algo" por causa da suspensão do veto migratório, em uma aparente alusão a um ataque terrorista.

Apesar desses comentários, a Casa Branca assegurou que é "indiscutível que o presidente respeita o Judiciário e suas decisões", segundo palavras do porta-voz de Trump, Sean Spicer.

Trump continuou hoje com seus ataques ao assegurar que os tribunais do país são "muito políticos" e criticar o tribunal de apelações que revisa o veto migratório que ele impôs aos refugiados de todo o mundo e aos imigrantes da Líbia, Sudão, Somália, Síria, Iraque, Irã e Iêmen.

Um painel de três magistrados do Tribunal de Apelações do Nono Circuito, com sede em San Francisco (Califórnia), estuda o pedido do governo de restituir o veto migratório de Trump, suspenso temporariamente por ordem de Robart desde sexta-feira passada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos