Parlamento da Somália elege presidente do Governo sob ameaça do Al Shabab

Mogadíscio, 8 fev (EFE).- O parlamento da Somália elege nesta quarta-feira por sufrágio indireto o presidente do Governo em meio a um forte dispositivo de segurança, que mantém um toque de recolher parcial e o fechamento do espaço aéreo perante a ameaça terrorista do Al Shabab, que na noite de terça-feira lançou violentos ataques.

Em uma intensa ofensiva na capital do país, Mogadíscio, houve lançamentos de projéteis com morteiro, sendo que alguns caíram nas imediações do palácio presidencial.

Também na noite de noite, pelo menos cinco pessoas morreram em outro ataque em um hotel da região de Puntlândia.

Os comércios e negócios permanecem fechados desde ontem, não há carros nas ruas e os civis estão alertados para não sair de suas casas durante os próximos três dias.

O espaço aéreo do país permanecerá fechado até amanhã, por ordem do governo da Somália.

A votação parlamentar será realizada no complexo aeroportuário, um recinto que acolhe instalações das Nações Unidas e outros organismos internacionais e que foi blindado por tropas da Missão da União Africana na Somália (AMISOM) e no qual já se encontram os deputados.

As eleições da Somália não são convencionais: o presidente é eleito em debate parlamentar e os 275 deputados que têm que designá-lo foram escolhidos por 14.025 delegados designados em função de um complexo repartição de poder entre os diferentes clãs.

Apesar da evidente falta de representatividade, o pleito parlamentar e a eleição do presidente são um grande avanço com relação à convocação em 2012, na qual só 135 líderes tribais se encarregaram de formar um parlamento de consenso que desse os primeiros passos da transição democrática.

A votação do presidente do país foi fixada inicialmente para agosto do ano passado, mas foi adiada até em cinco ocasiões devido à corrupção, disputas de poder e aos problemas de segurança.

A eleição do novo presidente do Governo da Somália, que será designado dentro de uma lista de 24 candidatos, porá um fim no processo eleitoral mais democrático que o país viveu nos últimos 47 anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos