Bélgica nega vínculo terrorista em ciberataque a aeroporto de Bruxelas

Bruxelas, 9 fev (EFE).- A Procuradoria Federal da Bélgica reconheceu nesta quinta-feira que o site do aeroporto de Bruxelas sofreu uma tentitiva de ciberataque na noite de 22 para 23 de março de 2016, mas negou qualquer relação do mesmo com os atentados jihadistas ocorridos nesse mesmo dia no aeroporto da capital e na rede de metrô bruxelense.

A tentativa de inabilitar o site Brussels Airport Company e invadir o sistema de computadores não teve sucesso e, segundo as provas obtidas, não há "motivação terrorista", informou a Procuradoria em comunicado.

As autoridades belgas enfatizaram que a tentativa de desestabilizar o citado site não tem relação "em absoluto com os ataques de 22 de março em Bruxelas e em Zaventem (cidade onde se encontra o aeroporto da capital belga)", nos quais morreram 32 pessoas.

"Dentro da investigação, o FBI (a polícia federal dos Estados Unidos) realizou uma diligência em uma casa em Pittsburgh, por pedido legal da Procuradoria Federal da Bélgica, e interrogou um menor americano" que "reconheceu ter cometido os fatos", declarou o órgão judicial belga.

Na nota, a Procuradoria insistiu que "este caso não tem nada a ver com os ataques terroristas de 22 de março de 2016 em Bruxelas e Zaventem", e indicou que não divulgará mais detalhes "por interesse da investigação".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos