Governo venezuelano critica reunião de chefe do parlamento com José Serra

Caracas, 9 fev (EFE).- A chanceler da Venezuela, Delcy Rodríguez, criticou nesta quinta-feira a reunião realizada em Brasília entre o presidente da Assembleia Nacional venezuelana, o opositor Julio Borges, e o ministro das Relações Exteriores, José Serra, que, segundo disse, ostenta um cargo de "facto".

Através de sua conta no Twitter, a ministra declarou que a Venezuela "rejeita categoricamente a ilegítima reunião entre Julio Borges e o chanceler de facto José Serra".

Nesse sentido, indicou que Julio Borges é um "usurpador de funções" que está "implicado em crimes contra a ordem constitucional" de seu país.

Além disso, afirmou que o chanceler brasileiro, a quem acusou de estar "envolvido em graves atos de corrupção", está interferindo nos assuntos de seu país.

"Golpistas não poderão com nosso povo", completou Rodríguez.

Segundo a ministra das Relações Exteriores venezuelana, "a direita corrupta, golpista e criminosa se carteliza internacionalmente contra os povos e favorece poderes imperiais".

Julio Borges, que viajou na quarta-feira ao Brasil, se reuniu na manhã desta quinta-feira com Serra no Palácio do Itamaraty para tratar a crise econômica, política e social que vive a nação caribenha, segundo uma nota de imprensa do parlamento venezuelano.

"Estivemos duas horas com Serra e sua equipe repassando todos os temas da Venezuela, especialmente a crise social e econômica, onde o governo do Brasil se ofereceu para doar alimentos e remédios para ajudar as venezuelanos", declarou Borges.

Segundo o comunicado, Serra expressou a Borges sua preocupação pela migração dos venezuelanos, "a violação dos direitos humanos" dos políticos e estudantes, assim como seu reconhecimento e apoio à Assembleia Nacional venezuelana.

O presidente do Legislativo venezuelano também teve uma reunião na quarta-feira com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

Após essa reunião, Maia assegurou que será convocada uma reunião parlamentar latino-americana para "enfrentar" o que classificou como "autoritarismo" do governo de Nicolás Maduro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos