Procurador colombiano vem ao Brasil para aprofundar investigação da Odebrecht

(Atualiza com informação sobre cúpula de procuradores em Brasília).

Bogotá, 9 fev (EFE).- O procurador-geral da Colômbia, Néstor Humberto Martínez, viajará ao Brasil acompanhado de vários dos investigadores que apuram as ramificações do caso Odebrecht em seu país, informou nesta quinta-feira seu escritório.

Durante sua visita, Martínez participará no dia 16 de fevereiro em uma cúpula em Brasília de procuradores de vários países latino-americanos que participam das investigações dos subornos da Odebrecht, acrescentou a procuradoria colombiana.

Neste encontro participarão autoridades de Brasil, Colômbia, Peru, Panamá, República Dominicana, Equador e Bolívia, entre outros, para trocar informações sobre o avanço das investigações.

No dia seguinte, Martínez se reunirá em Brasília com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, dentro do marco de cooperação que existe entre os dois países, acrescentou o órgão colombiano.

A procuradoria da Colômbia tem neste momento 11 investigações abertas sobre subornos do caso Odebrecht no país.

O relatório, publicado em dezembro pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que alertou sobre os tentáculos da corrupção promovida pela Odebrecht em diversos países da América Latina afirma que, no caso da Colômbia, a construtora pagou propinas no valor de mais de US$ 11 milhões entre 2009 e 2014.

Pelo escândalo, até o momento foram detidas duas pessoas na Colômbia, o ex-senador Otto Bula e o ex-vice-ministro de Transporte, Gabriel García Morales.

O escândalo atingiu também a campanha eleitoral de Juan Manuel Santos, já que Bula disse em seu depoimento à procuradoria que entregou US$ 1 milhão a Roberto Prieto, gerente da campanha para a reeleição em 2014 do atual presidente colombiano através do empresário Andrés Giraldo.

O candidato do partido Centro Democrático em 2014, Óscar Iván Zuluaga, também se viu implicado na polêmica.

Segundo revelou recentemente a revista "Veja", parte dos honorários do publicitário Duda Mendonça, que assessorou Zuluaga na campanha, foram pagos pela Odebrecht.

As investigações na Colômbia se centraram nos milionários contratos obtidos pela Odebrecht para a construção da estrada Ruta del Sol II, que comunica o centro com o norte do país, ainda não concluída, e para as obras de melhora de navegabilidade do rio Magdalena, o principal da Colômbia.

No entanto, também atingem uma obra contratada pela Empresa de Aqueduto de Bogotá na qual foram detectadas irregularidades.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos