Protesto contra privatização da Cedae paralisa Centro do Rio

Rio de Janeiro, 9 fev (EFE).- Um protesto contra o projeto de privatização da Companhia Regional de Águas e Esgotos (Cedae) paralisou nesta quinta-feira o Centro do Rio de Janeiro, palco de várias manifestações nos últimos meses contra as medidas de ajuste do governo para superar a crise financeira.

Os manifestantes que rejeitam a possível privatização da Cedae entraram em confronto com a polícia nas ruas adjacentes à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, onde o projeto seria debatido.

Os distúrbios deixaram vários feridos, entre eles policiais, e alguns detidos, acusados de vandalismo após destruírem vidraças de agências bancárias e provocarem incêndios.

Os violentos confrontos se estenderam por várias ruas e obrigaram as autoridades a bloquearem o trânsito por algumas das principais vias do Centro em plena hora do rush.

Os manifestantes, alguns encapuzados, atacaram com coquetéis molotov e pedras as barreiras montadas pela polícia para restringir o acesso à Alerj e foram dispersados com gás lacrimogêneo, balas de borracha e spray de pimenta.

Os incidentes começaram no início da tarde, quando estava prevista uma primeira sessão, e se repetiram várias vezes porque os manifestantes insistiam em se reunir para tentar se aproximar do edifício.

A polícia chegou a utilizar um carro blindado para dispersar aos manifestantes. No interior da Alerj, alguns dos deputados tiveram que utilizar máscaras antigás para poder respirar sem dificuldades. EFE

cm/vnm

(foto)(vídeo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos