Negociações de paz para a Síria começarão oficialmente em 23 de fevereiro

Genebra, 13 fev (EFE).- As negociações de paz entre o governo da Síria e a oposição, tuteladas pela ONU, começarão formalmente no próximo dia 23 em Genebra, para permitir às delegações chegar alguns dias antes à cidade suíça e participar de reuniões prévias com o enviado especial, Staffan de Mistura.

"Espera-se que as delegações cheguem a Genebra em ou em torno de 20 de fevereiro para permitir consultas prévias com o enviado especial e sua equipe antes do começo formal das negociações na Síria previsto para o dia 23", afirmou a porta-voz de De Mistura, Yara Sharif, em um breve comunicado divulgado nesta segunda-feira.

O enviado especial para a Síria enviou hoje os convites ao governo sírio e aos grupos da oposição para que participem da nova rodada de negociações de paz, e trabalha "ativamente" nos esforços diplomáticos para assegurar a organização e realização bem-sucedida do diálogo.

Deste modo, as consultas "continuam", afirmou a porta-voz, que não quis dar mais detalhes sobre os destinatários dos convites e das conversas que De Mistura mantém atualmente em diferentes frentes e esferas diplomáticas.

Antes do novo diálogo entre as partes envolvidas no conflito sírio em Genebra, será realizada nos próximos dias 15 e 16 de fevereiro em Astana uma segunda rodada de negociações sobre o cessar-fogo na Síria, vigente desde 30 de dezembro.

Os fiadores deste processo são Rússia, Turquia e Irã.

Por outro lado, na última sexta-feira, opositores sírios anunciaram em Beirute a formação de uma nova aliança política, o Bloco Nacional, integrado por partidos de dentro e fora da Síria, que aspira desempenhar um papel numa hipotética transição política.

Ainda não se sabe se De Mistura, que pediu a formação de um grupo unificado da oposição enquanto se aproximam as negociações em Genebra, convidou o Bloco Nacional.

O enviado especial adiou em 31 de janeiro o começo das negociações em Genebra, que estavam inicialmente previstas para 8 de fevereiro, para que o regime sírio e os rebeldes cheguem à cidade suíça "seriamente comprometidos" e - a oposição especialmente - de forma unida.

Além disso, De Mistura quis facilitar a implementação do mecanismo de supervisão de Rússia, Turquia e Irã do cessar-fogo; tudo isso para assegurar os maiores progressos possíveis nas conversas de Genebra, paralisadas há quase um ano.

Desde então, a ONU fez várias tentativas de reunir as partes, que sempre terminavam se adiando.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos