Rajoy diz que não se ofereceu a Trump como mediador

Madri, 13 fev (EFE).- O chefe do governo espanhol, Mariano Rajoy, esclareceu nesta segunda-feira que não se ofereceu ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como mediador para a América Latina, mas sim propôs que a Espanha, por conta das relações que tem com a região, ajudasse a resolver problemas no contexto internacional.

Em uma entrevista à "Televisión Española", Rajoy se falou da conversa que teve por telefone com Trump no último dia 7 e disse que teve outra interpretação.

"Eu não me ofereci como mediador de ninguém. Provavelmente não nos explicamos bem. Eu disse que tinha uma boa interlocução na América Latina e tínhamos uma história que nos une, afetos compartilhados, laços de toda tipo e relações muito boas", precisou.

Diante da polêmica gerada pela possível mediação espanhola, o presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou em sua conta no Twitter que a "América Latina não precisa de interlocutores".

O presidente do Executivo lembrou hoje que a Espanha é, depois dos Estados Unidos, o segundo país que mais investe na América Latina. E acrescentou que explicou a Trump a posição de seu país na União Europeia e as boas relações com os Estados do norte da África.

"Isso transforma à Espanha em um país que pode ajudar a resolver muitos problemas no contexto internacional", afirmou, ao considerar razoável que ele, como presidente, defenda a importância da Espanha.

Rajoy disse que a conversa com Trump foi cordial e que ele deseja ter uma boa convivência com os Estados Unidos, embora possam existir posições distintas em alguns assuntos, momento em que lembrou seu apoio ao livre-comércio e aos acordos sobre o clima.

Sobre as críticas na opinião pública espanhola de que seu governo está sendo brando frente às decisões de Trump, ele explicou que uma de suas obrigações é se manter bem com todo o mundo.

"Eu sou o presidente do Governo. Se estivesse na minha casa e fosse advogado, provavelmente poderia dizer outras coisas. Eu não crítico o presidente dos Estados Unidos, nem o da Rússia, nem o da China, de nenhum país, porque não faz sentido, salvo seja um genocida ou ataque às pessoas", declarou Rajoy.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos