Reparos e tempestades mantêm 200.000 evacuados de represa em expectativa

David Villafranca.

Los Angeles (EUA), 13 fev (EFE).- Os trabalhos de emergência para reparar os danos na represa de Oroville, situada no norte da Califórnia (Estados Unidos), e as tempestades que nos próximos dias podem agravar a situação mantêm em expectativa cerca de 200.000 pessoas que continuam evacuadas por um risco potencial de inundação.

As autoridades deram uma entrevista coletiva nesta segunda-feira em Oroville, situada 250 quilômetros ao nordeste de San Francisco, para detalhar a situação depois que no domingo foi ordenada a evacuação dos moradores da região devido aos severos danos detectados em um canal de derivação auxiliar da barragem.

O xerife do condado de Butte, Kory L. Honea, afirmou hoje que se mantém a ordem de evacuação nas localidades afetadas de Oroville, Palermo, Gridley, Thermalito, South Oroville, Oroville Dam, Oroville East e Wyandotte.

"Quando for seguro, baseado nas avaliações do Departamento de Recursos Hídricos da Califórnia (DWR, na sigla em inglês) e de nossos parceiros federais e estaduais, então estaremos em uma melhor posição para decidir a suspensão da evacuação", explicou o oficial, que ressaltou que o "propósito primordial" de suas ações é "garantir a segurança da população".

A situação melhorou levemente nas últimas horas depois que o DWR informou que no final da noite de ontem o nível de água na represa baixou até 275 metros, razão pela qual se deteve a liberação de reservas pelo desaguamento de emergência.

Concretamente, as autoridades assinalaram hoje que a barragem lança ao canal de derivação principal mais de 3.100 metros cúbicos por segundo.

Os problemas nesta instalação começaram na semana passada quando foi encontrado um grande buraco no desaguamento principal da represa, motivo pelo qual se fechou essa via e se abriu o canal de derivação auxiliar pela primeira vez na história do reservatório.

No entanto, no domingo foi encontrada uma rachadura no canal de derivação auxiliar e, por isso, perante a iminente possibilidade de transbordamento, o escritório do xerife do condado de Butte ordenou a evacuação pela "ameaça crível de um dano potencialmente catastrófico" no desaguamento de emergência.

O Serviço Meteorológico Nacional (NWS, na sigla em inglês) afirmou que o "potencial" colapso da estrutura deste desaguamento "resultaria em uma liberação incontrolada de águas do lago Oroville".

Segundo as estimativas da imprensa local, a emergência afetou entre 180.000 e 200.000 pessoas.

Os problemas de Oroville se viram agravados pelo inverno muito úmido que está atingindo a Califórnia, um estado em seca nos últimos anos, mas que nas últimas semanas registrou precipitações excepcionais tanto por seu volume como por sua constância.

Agora os trabalhos contra o relógio dos serviços de emergência se concentram em reduzir a pressão sobre as vias de saída de água e fazer espaço no reservatório para novas chuvas, já que as previsões meteorológicas projetam tempo tormentoso para a segunda metade da semana.

O governador da Califórnia, Jerry Brown, proclamou no domingo estado de emergência em Oroville, enquanto a Guarda Nacional pôs em alerta e em disposição de entrar em ação de maneira imediata seus 23.000 soldados, uma medida que esta corporação não adotava desde os distúrbios de Los Angeles em 1992.

Além disso, foram cortadas estradas e vias de ferrovia e os 578 detentos da prisão do condado de Butte foram transferidos a outra localização segura.

A imprensa local mostrou nas últimas horas espetaculares imagens e vídeos da liberação de águas em Oroville, o reservatório de água mais alto dos Estados Unidos, com um dique de 230 metros de altura. EFE

dvp/rsd

(foto)(áudio)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos