Cerca de 180 guerrilheiros das Farc chegam à região de entrega de armas

Bogotá, 14 fev (EFE).- Cerca de 180 guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) chegaram nesta terça-feira à região transitória de normalização de Caño Indio, no leste do país, um dos que estavam mais atrasados em sua construção e com um contexto de segurança mais complexo.

Os guerrilheiros chegaram em pelo menos uma dezena de caminhonetes, levando bandeiras brancas e da Colômbia, acompanhados de membros do Mecanismo de Monitoração e Verificação do cessar-fogo, entidade composta por observadores da ONU, polícia e das Farc.

"Confirmamos a chegada de integrantes das Farc à região de Caño Indio-Tibú, acompanhamos a transferência no Departamento do Norte de Santander", escreveu o Mecanismo de Monitoração e Verificação na conta oficial do órgão no Twitter.

Caño Índio é uma aldeia que faz parte do município de Tibú, inserido na tumultuada região do Catatumbo. Por lá também atuam as guerrilhas do Exército da Libertação Nacional (ELN) e do Exército Popular de Libertação (EP), considerado pelo governo como uma organização dedicada ao narcotráfico, assim como outros grupos herdeiros dos paramilitares e contrabandistas.

Além disso, essa região de entrega de armas é uma das que estavam mais atrasadas na preparação para receber os guerrilheiros. Essas áreas foram criadas como parte do acordo de paz assinada com o governo e as Farc no último dia 24 de novembro para encerrar o conflito.

Na semana passada, o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse que já chegaram a essas regiões 6.300 membros das Farc, entre os quais 117 fazem parte do Mecanismo de Monitoração e Verificação e outros 543 estavam em movimento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos