Governador de Illinois é processado por discriminar alunos latinos e negros

Chicago (EUA.), 14 fev (EFE).- A Junta de Educação de Chicago e um grupo de pais processaram nesta terça-feira o governador de Illinois, Bruce Rauner, por discriminação e violação dos direitos civis de estudantes hispânicos e afro-americanos.

O processo, o primeiro do tipo desde a aprovação da Lei de Direitos Civis de Illinois em 2003, afirma que o estado tem dois sistemas separados para destinar recursos para a educação, mecanismo que favoreceria os estudantes brancos que vivem fora de Chicago.

O documento apresentado no tribunal do Condado de Cook afirma que 90% dos estudantes das escolas públicas de Chicago são latinos ou afro-americanos. Os brancos predominam no resto do estado.

"A raça de uma criança continua ditando se ela vai receber ou não uma boa educação", afirma o processo, que detalha como funciona o sistema de distribuição desigual de recursos do governo estadual.

As escolas públicas de Chicago (CPS) têm 20% dos alunos de Illinois, mas recebem apenas 15% dos fundos estaduais, o que transformaria os estudantes hispânicos (47% do total) e os afro-americanos (38%) em cidadãos de "segunda classe", "relegados à parte traseira do ônibus de recursos estatais", denuncia a ação.

O processo também revela um sistema "separado e desigual" nos fundos de previdência dos professores, que são totalmente cobertos pelo estado em todos os distritos, menos em Chicago.

As escolas públicas de Chicago enfrentam uma grave crise financeira que obrigou demissões, cortes de programas, congelamento de despesas e que também gerou endividamento. Os diretores acusam Rauner de diminuir os repasses em represália por uma disputa com os democratas que controlam o Legislativo do estado.

Em uma carta enviada hoje aos pais dos 400 mil alunos de Chicago, o diretor-executivo das CPS, Forrest Claypool, afirmou que o governador aproveita a crise para obter lucros políticos e, ao mesmo tempo, prejudica os mais vulneráveis.

A ação pede que a Justiça evite que Rauner e Illinois distribuam os recursos da educação de maneira discriminatória, e que o sistema usado para financiar o fundo de previdência dos professores seja considerado ilegal.

O governador ainda não se pronunciou sobre a ação. Além do problema judicial, Illinois também tem que lidar com uma falta de recursos que pode antecipar o fim do ano letivo dos alunos.

Chicago pede que o estado aplique uma nova fórmula e repasse US$ 500 milhões adicionais para as escolas públicas da cidade para "evitar efeitos devastadores" no orçamento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos