Otan destaca maiores gastos com defesa que o esperado em 2016

Bruxelas, 14 fev (EFE).- O secretário-geral da Otan, o norueguês Jens Stoltenberg, disse nesta terça-feira que o aumento da despesa com defesa dos aliados europeus e do Canadá em 2016 foi "maior que a esperada", de 3,8%, para US$ 10 bilhões, antes da primeira visita à Aliança do novo chefe do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis.

Segundo os números atualizados para 2016, os gastos em defesa em termos reais aumentaram 3,8% nos aliados europeus e no Canadá, "significativamente mais do que estava previsto em um princípio, US$ 10 bilhões para nossa defesa", indicou Stoltenberg em entrevista coletiva prévia à reunião de ministros da Defesa da Otan de amanhã e quinta-feira.

"Isto marca uma diferença, mas é absolutamente vital que mantenhamos o impulso", indicou o secretário-geral da Aliança.

Stoltenberg ofereceu esses números na véspera da primeira visita de Mattis à organização, e depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu expressamente que os europeus aumentassem seus gastos com defesa.

A Otan previa em julho que a despesa em defesa dos aliados em 2016 crescesse 3%, até US$ 8 bilhões.

Stoltenberg assegurou que os gastos em defesa serão "um tema importante na reunião ministerial e na cúpula" da Aliança que, segundo o governo da Bélgica, vai acontecer em 25 de maio.

O ex-premiê da Noruega lembrou que nas duas conversas telefônicas que manteve com Trump, "os gastos com defesa foram um dos temas principais" e o presidente americano "reiterou a importância de dividir as despesas de maneira mais justa".

"Estou de acordo com ele. Por isso, comemoro o fato de que agora estamos fazendo progressos. Discutiremos na (reunião) ministerial o que mais podemos fazer", disse Stoltenberg.

O secretário-geral da Aliança indicou que a Otan "se baseia no vínculo entre América do Norte e Europa, e em bons e maus tempos esse vínculo foi inquebrantável".

"Nos mantemos juntos, nos defendemos mutuamente e isso é bom para a Europa e para a América do Norte. Mais uma vez, em nossa reunião, vamos confirmar novamente a duradoura importância do vínculo transatlântico", comentou Stoltenberg.

Além disso, o secretário-geral da Otan afirmou que "a mensagem dos EUA sempre foi a mesma: que o país segue comprometido com a Otan. E está aumentando sua presença na Europa", lembrou.

Para Stoltenberg, "é possível entender que quando as tensões diminuiram depois da Guerra Fria nos anos 1990, a despesa em defesa também caiu". "Mas é preciso incrementá-la quando as tensões estão altas, como agora", opinou.

O político norueguês deixou claro que o aumento dos gastos com defesa foi sua "principal prioridade" desde que chegou ao cargo e lembrou que, em 2015, já foi possível "impedir os cortes pela primeira vez e, em 2016, foi dado o primeiro passo significativo para aumentar" os investimentos nessa área.

Apesar do otimismo pelas expectativas revisadas para 2016, Stoltenberg alertou que "ainda falta muito para fazer".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos