Trump abre caminho para "solução de um Estado" entre Israel e Palestina

Washington, 15 fev (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quarta-feira que aceitará a solução preferida por israelenses e palestinos para resolver o conflito na região, seja ela de um ou dois Estados, o que representa uma mudança significativa na política externa do país em relação ao Oriente Médio nos últimos 20 anos.

"Estou olhando para a solução de dois Estados e de um Estado. Gostarei daquela que as duas partes prefiram. Posso viver com qualquer das duas saídas", disse Trump durante uma entrevista coletiva conjunta com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que está em visita oficial a Washington.

O presidente americano se pronunciou assim horas depois que um funcionário da Casa Branca pôs em dúvida a solução de dois Estados que representou a base das negociações de paz mediadas pelos EUA até agora, ao considerar que se esse enfoque "não leva à paz".

Trump se comprometeu a "trabalhar para um acordo de paz entre Israel e os palestinos", e prometeu que se esforçará "muito diligentemente" para conseguir "um grande pacto".

"Mas são as próprias partes que devem negociar diretamente esse acordo. Estaremos a seu lado. Trabalharemos com eles. Como em qualquer negociação bem-sucedida, as duas partes deverão fazer concessões. Você sabe, não é?", disse Trump olhando para Netanyahu.

O presidente americano também afirmou que os palestinos devem "desfazer-se do ódio" que, segundo sua opinião, aprendem "desde pequenos".

Por outro lado, Trump opinou que Israel deve mostrar "certa flexibilidade" para chegar a um acordo de paz com os palestinos.

A esse respeito, Netanyahu indicou que ele não quer fixar-se tanto nos "rótulos" sobre uma solução de um ou dois Estados, mas o que lhe importa é a "substância" do processo de paz, e ressaltou que suas condições para o mesmo "não mudaram" nos últimos oito anos.

Netanyahu chegou à reunião com Trump pressionado pela direita nacionalista israelense, que lhe pede que despreze oficialmente a solução dos dois Estados e avance rumo à anexação dos territórios palestinos.

A mudança de postura da Casa Branca não caiu bem na Organização para a Libertação da Palestina (OLP), onde um porta-voz disse à Agência Efe que a única alternativa a uma solução de dois Estados é um só Estado democrático, secular e com igualdade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos