Ciclone Dineo causa 4 mortes e danos materiais no sul de Moçambique

Maputo, 16 fev (EFE).- O ciclone Dineo, que desde a noite de quarta-feira atinge o litoral do sul de Moçambique, causou quatro mortes e afetou cerca de 720 mil pessoas, além de ter deixado diversos danos materiais ao longo da passagem pelo país.

Entre as vítimas, que morreram por causa da queda de árvores e dos tetos das casas, há uma criança que foi atingida por um arbusto no distrito de Massinga, no sudeste do país.

Com ventos de mais de 150 quilômetros por hora e fortes chuvas, a força do ciclone deixou danos materiais como a destruição de casas, escolas, centros de saúde, estradas quebradas e destroços em infraestruturas. As altas ondas que se formaram devido ao ciclone também deixaram 16 golfinhos encalhados na praia de Inhassoro.

As regiões mais afetadas foram Morrumbene, Jangamo e Inhambane, no sudeste de Moçambique, segundo informou o Instituto Nacional de Gestão de Desastres.

A queda de árvores e tetos das casas por causa do vento danificaram a transmissão e a distribuição de energia elétrica, que provocou cortes no fornecimento em várias regiões.

África do Sul e Zimbábue esperam para a tarde desta quinta-feira a chegada do ciclone Dineo, que atualmente neste momento em direção ao sul da África.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos