Governo argentino volta atrás em polêmico decreto sobre pensões

Buenos Aires, 16 fev (EFE).- O presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciou nesta quinta-feira que deu a ordem de anular o polêmico decreto que modificava em baixa o cálculo dos aumentos das pensões, já que ainda não tinha sido publicado no Diário Oficial.

"A resolução não foi publicada no boletim. Dei a ordem, já foi anulada", afirmou o chefe de Estado em entrevista coletiva em Buenos Aires, em um dia no qual a oposição e parte do governo criticaram duramente a decisão do governo de fazer mudanças nos aumentos das pensões.

O presidente argentino reconheceu ainda que "ficará aberto o debate porque a equipe técnica diz que a lei está sendo mal aplicada", algo que definiu como "um tecnicismo matemático".

A polêmica surgiu porque, segundo o governo, a regulamentação da norma que ajustas as ajudas sociais contradiz o texto legislativo original, razão pela qual o que prevalece é cumprir este último, o que faz com que o aumento das pensões seja de 12,65%, ao invés do 12,96% ao que se chegaria com o cálculo que se fazia até agora e que o Executivo modificou por decreto.

"O índice de 12,65% está quase quatro pontos acima da inflação do semestre passado. As rendas dos aposentados estão começando a recuperar valor e vão ter maior capacidade aquisitiva", garantiu Macri.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos