Homem queima família e se suicida em Mossul devido à fome, segundo ONG

Mossul, 17 fev (EFE).- Um homem queimou nesta sexta-feira sua mulher e seus quatro filhos e depois ateou fogo a si mesmo no oeste de Mossul, controlado pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI), devido à fome e à miséria, segundo a organização beneficente Célula dos Jovens de Ninawa.

O presidente desta ONG, Hakem al-Dulaimi, disse à Agência Efe que o casal e seus quatro filhos, que viviam no bairro de Al Zanyili, "se suicidaram porque preferiam morrer queimados a viver com fome sob o poder dos mercenários do EI".

O caso, que não foi confirmado por outras fontes, acontece depois de mais de 130 dias ofensiva por parte das forças iraquianas, com o apoio da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, sobre os jihadistas.

"Não apoio o ocorrido, porque é uma ação desumana, mas acredito que mostra a horrível situação de lá, a fome e as privações que sofrem os moradores da parte oeste", acrescentou Al-Dulaimi.

O responsável da ONG afirmou que seu grupo fez uma pedido ao primeiro-ministro, Haider al-Abadi, para que ordene o começo das operações militares para libertar os bairros ocidentais de Mossul e pôr fim ao sofrimento dos civis.

Os distritos do leste de Mossul, cidade cortada pelo rio Tigre e considerada o principal bastião do EI no Iraque, foram libertados recentemente, em janeiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos