Ministro do Trabalho do Sudão do Sul renuncia e se junta à oposição armada

Juba, 17 fev (EFE).- O ministro do Trabalho do Sudão do Sul, o general Gabriel Doup Lam, apresentou sua renúncia em protesto pela não aplicação do acordo de paz entre o governo e a oposição e anunciou sua adesão à facção armada liderada pelo ex-vice-presidente Riek Machar.

Em comunicado divulgado nesta sexta-feira, Doup Lam também anunciou que não vai prosseguir entre as fileiras da oposição leal ao governo, representada pelo atual vice-presidente, Taban Deng Gai.

Em julho de 2016, após a fuga de Riek Machar - então vice-presidente - do país, após enfrentamentos entre as forças fiéis ao líder rebelde e as tropas leais ao presidente Salva Kiir, os ministros da oposição integrados no governo de União Nacional, propuseram a substituição de Machar por Deng Gai.

Esta medida contou com a oposição de Machar e seus simpatizantes, o que provocou a divisão da oposição em dois grupos e o desencadeamento de enfrentamentos armados em diferentes pontos do país.

A oposição conta com dez ministérios no governo surgido após o acordo de paz alcançado em agosto de 2015.

A saída do ministro do Trabalho acontece quatro dias após a divulgação da notícia da renúncia do subchefe de logística do Estado-Maior do exército do Sudão do Sul, Thomas Cirilo.

Após deixar seu cargo, Cirilo acusou o governo de cometer uma "limpeza étnica" e de violar de forma "premeditada" o acordo de paz assinado em agosto de 2015 com a oposição armada.

Em sua carta de renúncia, Cirilo acusou o presidente Salva Kiir e o chefe do Estado-Maior, Paul Amlong Awan, de entorpecer "sistematicamente" a aplicação do acordo assinado com o ex-vice-presidente Riek Machar.

O Sudão do Sul se encontra imerso na violência desde que, em dezembro de 2013, dois anos após sua independência, Kiir denunciou uma tentativa de golpe de Estado liderado por Machar, da tribo nuer.

Apesar de ambos terem alcançado um acordo de paz em agosto de 2015, a tensão voltou a explodir no país em julho do ano passado, e os combates continuaram desde então.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos