Chefe de gabinete de Trump pede que críticas à imprensa sejam levadas à sério

Washington, 18 fev (EFE).- O chefe de gabinete do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu neste sábado para se "levar a sério" as críticas dele sobre a imprensa e que deixem de ser publicadas informações com fontes anônimas.

Reince Priebus fez estas afirmações após ser perguntado na "CBS" se deve ser levada a sério a mensagem no Twitter no qual na sexta-feira Trump afirmou que alguns veículos de imprensa são "o inimigo do povo".

"Acho que deve ser levado a sério. Acredito que o problema que temos é que estamos falando de histórias falsas como essa do 'New York Times' sobre que tivemos contato constante com funcionários russos", disse Priebus, segundo um trecho da entrevista que será transmitida neste domingo no canal.

"No dia seguinte, o 'Wall Street Journal' tinha uma história sobre que a comunidade de inteligência não estava dando ao presidente um relatório completo. Ambas as histórias gravemente equivocadas, exageradas, pretensiosas e um lixo total", acrescentou.

Priebus se queixou que passaram "48 horas com histórias falsas", com as quais "o povo americano sofre", por isso acha que "isto é um problema".

O ex-presidente do Comitê Nacional Republicano criticou além disso o uso de fontes anônimas nas informações de imprensa.

Os ataques de Trump aos veículos de imprensa mais prestigiados dos EUA acontecem desde sua campanha eleitoral.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos