Ataques suicidas deixam ao menos 6 mortos e dezenas de feridos em Cabul

Cabul, 1 mar (EFE).- Pelo menos três civis e três insurgentes morreram e cerca de 40 pessoas ficaram feridas nesta quarta-feira em dois ataques talibãs, um contra um distrito policial e outro contra um centro do serviço de inteligência, em Cabul, a capital do Afeganistão, informaram à Agência Efe fontes oficiais.

O primeiro ataque começou com a explosão de um carro-bomba nas imediações de um complexo das forças de segurança no 6º distrito policial, no oeste da capital afegã, o que foi seguido por um tiroteio, indicou o Ministério do Interior do país em comunicado .

Um grupo de insurgentes armados tentou invadir o distrito policial após a explosão, mas foi cercado por agentes das forças de segurança, o que deu início a enfrentamentos que ainda continuam na área, segundo a nota.

As autoridades enviaram tropas especiais ao local e contabilizaram dois civis mortos por consequência do ataque, segundo o último balanço oferecido à Efe pelo porta-voz do Ministério da Saúde Pública, Ismail Kawusi.

Outro porta-voz do governo, Abdul Basir Mujahid, cifrou em 37 o número de mortos pelo atentado no 6º distrito, aonde as ambulâncias não conseguem chegar porque ainda há combates.

Um segundo atentado no 12º distrito policial, no leste de Cabul, causou pouco depois a morte de um terceiro civil, detalharam as fontes do Ministério.

De acordo com o comunicado da pasta de Interior, o segundo atentado tinha como alvo um escritório do Diretório Nacional de Segurança (NDS, sigla em inglês), a principal agência de inteligência do Afeganistão, e foi realizado por dois insurgentes.

Um deles morreu após se explodir como homem-bomba e o segundo foi abatido pelas forças de segurança após uma breve troca de tiros.

Os talibãs reivindicaram a autoria dessas duas ações e afirmaram que na primeira delas "vários suicidas começaram ataques contra uma grande estação de inteligência e contra o centro de recrutamento no 6º Distrito Policial".

Cabul vem sofrendo importantes ataques de insurgentes nos últimos meses. Em fevereiro, 21 pessoas morreram e mais de 40 ficaram feridas em um atentado cometido no estacionamento do Tribunal Supremo em Cabul, enquanto em janeiro outro duplo atentado perto do parlamento deixou 30 mortos e 80 feridos.

Segundo a missão da ONU no Afeganistão (Unama), o ano de 2016 foi o mais violento para a população civil no país desde que começou a contabizar mortos e feridos em 2009, com 11.418 vítimas (3.498 mortos e 7.920 feridos).

Com a intensificação do conflito, as baixas entre as forças de segurança também aumentaram no ano passado, chegando a quase 7 mil mortes até novembro, segundo outro relatório, do Inspetor Especial Geral para a Reconstrução do Afeganistão (SIGAR, sigla em inglês), do Congresso dos EUA.

De acordo com o SIGAR, o governo afegão contínua perdendo terreno para os talibãs e controla apenas 57% do território do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos