Explosão seguida de tiroteio deixa 40 feridos em Cabul

Cabul, 1 mar (EFE).- Dois ataques talibãs nesta quarta-feira contra postos da polícia em Cabul deixaram até o momento cerca de 40 feridos, embora ainda haja troca de tiros na zona de um deles, informaram à Agência Efe fontes oficiais.

O vice-porta-voz do Ministério do Interior, Najib Danish, indicou que o primeiro ataque aconteceu contra um complexo das forças de segurança no distrito 6 da Polícia, no oeste da capital, e começou com um carro-bomba.

Danish afirmou que ainda não se sabe o número de vítimas pelo ataque, após o qual foram desdobradas tropas especiais na zona para desalojar a área, onde continuam os disparos.

O vice-porta-voz afirmou que após esse ataque aconteceu um segundo atentado na zona policial de Arzan-Qimat, no leste de Cabul, no qual ficaram feridas duas pessoas.

O porta-voz do Ministério da Saúde, Abdul Basir Mujahid, indicou à Efe que o número de feridos pelo atentado do distrito chega a 37, embora não tenha sido confirmada nenhuma morte.

Outro porta-voz do mesmo Ministério, Ismail Kawusi, indicou à Efe que as ambulâncias não podem chegar à zona porque ainda há combates com os agressores.

Os talibãs reivindicaram hoje o atentado contra a estação do oeste da cidade e afirmaram que "vários suicidas começaram ataques contra uma grande estação de inteligência e centro de recrutamento no Distrito Policial 6".

Cabul foi palco de importantes ataques insurgentes durante os últimos meses.

No total, 21 pessoas morreram e mais de 40 ficaram feridas em um atentado perpetrado no estacionamento do Supremo Tribunal em Cabul, enquanto em janeiro outro duplo atentado na capital perto do parlamento deixou 30 mortos e 80 feridos.

Segundo a missão da ONU no Afeganistão (Unama), o ano 2016 foi o mais sangrento para a população civil no Afeganistão desde que começou a ser contado o número de mortos e feridos em 2009, ao contabilizar 11.418 vítimas (3.498 mortos e 7.920 feridos).

No meio da intensificação do conflito, também os baixas entre as forças de segurança aumentaram o ano passado até alcançar quase 7 mil mortos até novembro, segundo outro relatório do Inspetor Especial Geral para a Reconstrução do Afeganistão (SIGAR), do Congresso dos EUA.

De acordo com o SIGAR, o governo afegão continua perdendo terreno perante os talibãs e controla 57% do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos