Governo francês defende independência judicial questionada por Fillon

Paris, 1 mar (EFE).- O governo socialista francês respondeu nesta quarta-feira às críticas do candidato conservador às eleições presidenciais francesas, François Fillon, e afirmou que os juízes de instrução dirigem suas investigações "com total independência".

"O trabalho em curso dos magistrados não deve ser comentado. Os juízes de instrução dirigem suas investigações com total independência, de maneira colegial, respeitando o direito à defesa e à presunção de inocência", disse o Ministério da Justiça em comunicado.

Na entrevista coletiva na qual anunciou hoje que vai ser acusado pela atribuição de um emprego supostamente fictício a sua mulher, Fillon aproveitou para reprovar o Ministério da Justiça por não ter feito nada perante as filtragens acerca da investigação.

Sem citar Fillon em sua nota, o Ministério afirmou que "os magistrados não recebem nenhuma instrução individual, venha de quem vier", e disse que as decisões judiciais "sempre" podem ser recorridas pelas vias legais, "como milhares de franceses fazem a cada ano".

Fillon, um dos candidatos favoritos a vencer as eleições presidenciais francesas de 23 de abril, enfrenta acusações de desvio de fundos públicos, tráfico de influência e ocultação de atividades.

A Procuradoria tinha aberto uma investigação preliminar depois que a publicação "Le Canard Enchainé" revelou no final de janeiro que Fillon tinha contratado sua esposa Penelope como assistente parlamentar paga com dinheiro público durante vários anos, mas que não tinha deixado rastro de seu trabalho.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos