Promotoria do Equador pede bloqueio de pagamentos pendentes à Odebrecht

Quito, 1 mar (EFE).- A Promotoria do Equador pediu nesta quarta-feira a um tribunal de garantias penais do país que bloqueie os pagamentos pendentes à Odebrecht enquanto durem as investigações sobre o pagamento de propina da empresa no país.

Os promotores querem que a Refinaria do Pacífico e a Empresa Pública de Água, ambas com contratos com a construtora brasileira, sejam impedidas de efetuar qualquer tipo de pagamento à Odebrecht.

"As contas a pagar que as duas empresas têm pendentes com a Odebrecht somam mais de US$ 40 milhões", indicou o promotor do caso, Wilson Toainga, em comunicado divulgado pela Promotoria.

O objetivo da solicitação é garantir uma possível indenização, já que se considera que a Odebrecht pagou US$ 35,5 milhões em propina no Equador, segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

No fim de dezembro, um juiz aceitou um pedido dos promotores para que o governo seja proibido de firmar novos contratos com a Odebrecht enquanto durarem as investigações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos