Obama responde a Trump e diz que nunca ordenou investigação de um americano

Washington, 4 mar (EFE).- O ex-presidente americano Barack Obama replicou neste sábado o seu sucessor, Donald Trump, e disse que "nunca" ordenou a gravação das conversas de qualquer cidadão americano, após as acusações do republicano sobre o suposto grampo realizado em seus escritórios de Nova York.

"Nem o presidente Obama e nem qualquer funcionário da Casa Branca ordenou vigilância a qualquer cidadão americano. Qualquer sugestão contrária é simplesmente falsa", disse Lewis.

Ele acrescentou que "uma regra básica do governo de Obama era que nenhum funcionário da Casa Branca interferiria em qualquer investigação independente do Departamento de Justiça".

Deste modo, o ex-presidente respondia às acusações feitas está manhã pelo presidente Trump e que apontavam diretamente para Obama como responsável por gravar conversas suas na Trump Tower.

"Terrível! Acabo de descobrir que Obama tinha minhas linhas grampeadas na Trump Tower antes da vitória. Não encontrou nada. Isto é Macartismo!", escreveu Trump no Twitter, citando a "caça às bruxas" feita pelo senador ultradireitista americano Joseph McCarthy nos anos 50.

O presidente, que está em sua residência particular em Mar-a-Lago, na Flórida, não apresentou provas destas acusações, mas comparou ao escândalo de Watergate que acabou com a presidência de Richard Nixon, em 1974.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos