Ex-assistente relata redução salarial para contratação de esposa de Fillon

Paris, 5 mar (EFE).- O candidato da direita às eleições presidenciais francesas, François Fillon, reduziu em 1998 o salário da assistente parlamentar que tinha como deputado, Nathalie Blin, para contratar a esposa, Penelope.

Essa é a versão dada por Blin aos investigadores encarregados do caso Fillon no último dia 10 de fevereiro e que foi divulgada neste domingo por "Le Journal du Dimanche", junto a outros trechos do dossiê.

A assistente que trabalhava para o então deputado do departamento de Sarthe contou aos policiais que não conhece Penelope Fillon, mas que sabe que ela é a "razão" pela qual Fillon a pagou "meio expediente".

"O que sei é que em 1998 minha remuneração foi reduzida pela metade para permitir a remuneração da senhora Fillon. Nunca tive relações de trabalho com a senhora Fillon", explicou Nathalie Blin, que trabalhou como assistente de Fillon por anos e, embora tenha cruzado com Penelope em algum comício, não conversou com ela.

Outra antiga assistente do líder da direita, Élisabet Dosso, também interrogada em 10 de fevereiro, afirmou que não sabia que Penelope Fillon tinha sido formalmente contratada para essa mesma função.

Estas declarações coincidem nas páginas de "Le Journal du Dimanche" com uma entrevista de Penelope Fillon, sua primeira declaração pública desde o surgimento do escândalo no dia 25 de janeiro com uma informação do rotativo satírico "Le Canard Enchaîné".

A esposa do candidato da direita ao Eliseu - cuja candidatura balança por este assunto - afirma que realizou diversas tarefas para o marido durante os oito anos em que foi sua assistente e que seu trabalho foi real.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos