Fillon denuncia deserções "sem vergonha e sem orgulho" na direita

Paris, 5 mar (EFE).- O candidato da direita às eleições presidenciais francesas, François Fillon, criticou neste domingo os aliados que o abandonaram, falou de deserções "sem vergonha e sem orgulho", e pediu um exame de consciência.

Em discurso na Esplanada do Trocadero, em Paris, - segundo os organizadores, para mais de 200 mil pessoas -, Fillon criticou os integrantes da direita e do centro, que pediram que ele se retirasse perante o escândalo liga seu nome a empregos supostamente fictícios que concedeu a sua mulher e a dois de seus filhos.

"Vão deixar que as paixões do momento se coloquem à frente das necessidades da nação? Vão deixar que os interesses de panelinhas e manobras passem por acima da grandeza e da coerência de um projeto adotado por 4 milhões de pessoas?", perguntou retoricamente.

Ele se referia à legitimidade que reivindica por ter vencido as primárias da direita e do centro em novembro, quando superou com folga Alain Juppé no segundo turno, que muitos representantes da direita querem agora que o substitua como candidato.

Perante um público que levou somente bandeiras francesas e que teve que suportar a chuva, Fillon disse que diante dos ataques que recebe "de todas as partes", escuta "a imensa multidão que pede para ele seguir".

Mas afirmou que não se esqueceu dos "que duvidam e escapam do barco".

"Sua responsabilidade é imensa, e a minha também...", acrescentou.

Ele denunciou essas "traições", ao mesmo tempo em que reconheceu dois "erros" próprios: pedir a sua mulher que trabalhasse para ele - a questão que está no centro da investigação -, e as dúvidas que teve para falar publicamente sobre o assunto.

O candidato da direita não só não deu qualquer sinal de estar disposto a deixar a carreira eleitoral, como justificou a vontade de ficar para defender um programa que, segundo ele, tem o apoio popular e é apropriado para tirar o país do "longo inverno histórico" em que ficou nos cinco anos da presidência do socialista François Hollande.

Em sua opinião, os ataques contra recebidos querem, além de prejudicar sua imagem, "quebrar a direita e roubar os votos".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos