Polícia prende 2 suspeitos de assassinar jogador da seleção hondurenha

Tegucigalpa, 5 mar (EFE).- A Polícia Nacional de Honduras prendeu neste domingo sete pessoas, duas delas acusadas do assassinato do lateral-direito Arnold Peralta, que jogava pelo Olímpia local e defendeu a seleção do país.

Os suspeitos foram detidos domingo entre a cidade de Ceiba e o departamento de Colón, ambos no Caribe do país centro-americano, segundo um relatório dos policiais.

Edwin Ernesto David e José Rafael Sosa, detidos com outros cinco homens, são considerados autores materiais e intelectuais da morte de Peralta, de acordo com informações da Polícia, que não entrou em detalhes.

Os dois são acusados também, assim como os outros cinco detidos, todos integrantes de uma mesma facção criminosa, dos crimes de sequestro, homicídio e formação de quadrilha.

Peralta, de 26 anos, entrava em seu carro no dia 11 de dezembro de 2015 quando foi abordado por um homem que disparou contra ele na cabeça, em Ceiba, segundo as autoridades.

Os outros detidos foram identificados como Javier Gregorio Ramos, José Lino Colón, José Roberto Valdez, Santos Josué López e Víctor Marcelo Martínez, todos acusados de porte ilegal de armas e tentativa de assassinato.

Peralta defendeu Honduras nos Jogos Olímpicos de 2012, em que a seleção caiu nas quartas de final, e estava convocado para a Copa do Mundo de 2014, mas foi cortado por lesão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos