Chanceler mexicano critica nos EUA plano de separar famílias na fronteira

Washington, 9 mar (EFE).- O secretário de Relações Exteriores do México, Luis Videgaray, expressou nesta quinta-feira a representantes da Casa Branca uma "grave preocupação" pela possível adoção por parte dos Estados Unidos de separar crianças de suas famílias que cruzam a fronteira entre os dois países e sejam detidos pelas autoridades norte-americanas.

Em uma breve visita a Washington, Videgaray se reuniu com vários assessores do presidente dos EUA, Donald Trump, para expressar sua "grave preocupação pela possível política anunciada pelo governo americano de separar as famílias mexicanas".

"Acreditamos que separar as famílias de seus filhos, independentemente dos motivos, representa um atentado contra a integridade da unidade fundamental da vida social", disse Videgaray em entrevista coletiva após as reuniões.

O Departamento de Segurança Nacional (DHS) indicou nesta semana que está avaliando um plano para separar as crianças de seus pais quando eles entrarem irregularmente nos EUA, uma estratégia que, segundo a agência, tem como objetivo desencorajar a imigração ilegal.

Videgaray disse que a Casa Branca respondeu que está apenas "estudando a possibilidade" de adotar a medida, que ainda não é uma decisão tomada pelo governo de Trump.

O chanceler mexicano se reuniu hoje com o assessor e genro de Trump, Jared Kuschner, que assumiu um papel de protagonismo na política americana em relação ao México, com o assessor de segurança nacional do presidente, Hebert Raymond McMaster, e com o diretor do Conselho Nacional Econômico da Casa Branca, Gary Cohn.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos