Japão irá se retirar da missão de paz no Sudão do Sul após cinco anos

Tóquio, 10 mar (EFE).- O Japão irá retirar suas tropas desdobradas na única missão de paz na qual participava neste momento, no Sudão do Sul, após cinco anos, anunciou nesta sexta-feira o governo japonês.

O Japão não renovará o contingente das Forças japonesas de Autodefesa no Sudão do Sul quando o atual destacamento retornar ao país asiático em maio, explicou o primeiro-ministro Shinzo Abe.

"Considero que a equipe contribuiu muito à construção do país", disse Abe.

A unidade de 350 soldados estava desdobrada na capital, Juba, onde se dedicava principalmente a tarefas de engenharia para a construção de estradas e outras infraestruturas.

O Japão envia unidades de terra de sua forças armadas à Missão de Assistência das Nações Unidas na República do Sudão do Sul (UNMISS) desde 2012.

O destino do último destacamento tinha gerado polêmica no país asiático, dado que pela primeira vez em dezembro foi concedido poder de combater para resgatar ou defender soldados aliados após a histórica e polêmica reforma legislativa de 2015.

A oposição era especialmente crítica com o desdobramento no país africano, pela situação de segurança.

O primeiro-ministro japonês, que afirmou que a decisão de seu governo já foi transmitida tanto ao presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, como à ONU, disse que apesar da retirada, o Japão seguirá enviando pessoal de Autodefesa do ponto de vista humanitário.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos