Outro assistente da Frente Nacional é acusado no caso dos empregos fictícios

Paris, 10 mar (EFE).- Um segundo assistente parlamentar da Frente Nacional (FN) foi acusado na investigação aberta contra o partido ultradireitista francês por supostos empregos fictícios, na qual a presidente da formação, Marine le Pen, se negou depor nesta sexta-feira.

Charles Hourcade, assistente de uma deputada da FN no Parlamento Europeu, foi acusado no dia 6 de março por desvio, informou a imprensa local.

Le Pen havia sido convocada pelos juízes de instrução para depor nesta sexta-feira, mas, como tinha anunciado, não compareceu por contar com imunidade parlamentar e por considerar que se trata de "uma operação política" contra ela a menos de 50 dias do primeiro turno das eleições presidenciais na França.

A acusação de Hourcade é a segunda neste caso, após a de Catherine Griset, secretária pessoal da presidente da FN e candidata às eleições.

A justiça francesa abriu há dois anos a investigação a pedido do Parlamento Europeu, que suspeitava que cargos contratados como assistentes parlamentares pela formação ultradireitista trabalhavam na realidade para o partido e não para o Parlamento Europeu.

As investigações tentam determinar se a FN iniciou um sistema para remunerar seus dirigentes e funcionários com recursos públicos da União Europeia (UE) mediante contratos de colaboradores de seus eurodeputados.

A FN nega essas acusações e, como sua presidente, assegura que por trás delas há uma operação política contra Le Pen, em um momento em que lidera, junto a Emmanuel Macron, as intenções de voto para o primeiro turno das eleições presidenciais do dia 23 de abril.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos