Abkházia realiza eleições parlamentares condenadas pela Geórgia

Moscou, 12 mar (EFE).- A região separatista georgiana da Abkházia, cuja independência foi reconhecida pela Rússia, realiza neste domingo eleições parlamentares como parte da reforma para reduzir os poderes presidenciais, um pleito que foi condenado pela Geórgia.

"Espero que tudo transcorra com tranquilidade, sem excessos. Ao parlamento devem chegar pessoas que sejam, em uma palavra, patriotas", disse Raul Khadjimba, líder abkházio, ao depositar seu voto em Sukhumi, a capital republicana.

Khadjimba prometeu que as reformas políticas para conceder mais faculdades ao legislativo local devem continuar, mas insistiu que "o poder presidencial deve continuar sendo o modelo de governo na Abkházia".

Os 133 mil eleitores da Abkházia (Mar Negro), que tem por volta de 300 mil habitantes, estão convocados às urnas para escolher 35 deputados em um universo de 138 candidatos, dos quais apenas 24 foram apresentados por partidos políticos.

Entre os candidatos figura o ex-presidente Alexander Ankvab, que foi obrigado a renunciar em 2014 após grandes protestos organizados pela oposição, que o acusaram de autoritarismo e corrupção.

Os partidários do atual presidente eram contrários a candidatura de Ankvab, mas ele ignorou as críticas e recebeu apoio da oposição.

As eleições legislativas serão declaradas válidas se mais de 25% dos abkházios com direito a voto participarem.

O ministro das Relações Exteriores da Geórgia, Mikhail Dzhanelidze, tachou hoje de "ilegítimas" as eleições no território e convocou a comunidade internacional a condená-las.

"Estou convencido que conseguiremos restabelecer a integridade territorial da Geórgia e chegaremos a realizar eleições legítimas" na Abkházia, disse o diplomata, que insistiu que o pleito não terá nenhuma consequência legal.

Para Dzhanelidze, as eleições são uma nova tentativa de legitimar a agressão, intervenção e ocupação russa, em referência ao fato de Moscou contar com bases militares tanto na Abkházia como na também separatista Ossétia do Sul.

"A Rússia continua a anexação 'de facto' dos territórios ocupados da Geórgia através de sua integração militar, política, econômica e social", informou hoje a Chancelaria georgiana em comunicado.

Além da Rússia, Venezuela e Nicarágua também reconheceram a independência da Abkházia após o conflito russo-georgiano pelo controle da Ossétia do Sul em agosto de 2008, que terminou com a arrasadora vitória militar russa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos