Homem hasteia bandeira turca no consulado holandês em Istambul

Em Istambul

  • AP

    Na montagem, a bandeira Turca (esq.) aparece hasteada no consulado da Holanda em Istambul. Oficiais do consulado recolocaram a bandeira holandesa no lugar (dir.)

    Na montagem, a bandeira Turca (esq.) aparece hasteada no consulado da Holanda em Istambul. Oficiais do consulado recolocaram a bandeira holandesa no lugar (dir.)

Um desconhecido subiu neste domingo no telhado do consulado da Holanda no centro de Istambul, na Turquia, e mudou a bandeira holandesa pela turca aos gritos de "Alá é grande" (Allahu Akbar), informou o jornal "Hürriyet".

Em um vídeo postado no site da publicação, é possível ver a bandeira da Turquia tremulando sobre o edifício da missão diplomática holandesa, enquanto o homem no alto do telhado gritava esses lemas.

Pouco antes das 13h locais (7h de Brasília), a bandeira da Holanda foi recolocada em seu local indicado, segundo pôde constar a Agência Efe.

De acordo com o canal de televisão "NTV", que cita fontes da presidência turca, as autoridades do consulado não impediram que o homem subisse no telhado do edifício, onde a bandeira turca chegou a tremular durante aproximadamente 30 minutos.

As tensões entre Holanda e Turquia aumentaram depois que as autoridades holandesas impediram ontem à noite a participação de dois ministros turcos em atos políticos em Roterdã, onde queriam fazer campanha em favor do referendo constitucional no país eurasiático em 16 de abril.

Vários representantes turcos, entre eles o próprio presidente Recep Tayyip Erdogan, qualificaram a atitude da Holanda de "fascista", "nazista" e "antidemocrática".

Várias pessoas se manifestaram em frente ao consulado holandês em Istambul para expressarem seu mal-estar com os supostos maus-tratos a seus representantes oficiais na Holanda.

Um homem de aproximadamente 50 anos, que se identificou como Sonat, explicou à Efe que um dos manifestantes subiu no telhado do consulado "através de edifícios vizinhos".

"Fizemos isto porque a Holanda agride nossos cidadãos, nossos ministros. É preciso fazê-lo, é preciso protestar", assegurou o manifestante com uma bandeira turca nas mãos.

"Nós fazemos tudo o que nosso presidente (Erdogan) disser. Se ele disser que nos temos que morrer, nós morreremos", comentou o homem.

O acesso às sedes diplomáticas da Holanda em Istambul e Ancara foi fechado pelas autoridades turcas em resposta à crise de ontem à noite.

O primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, anunciou hoje que a Holanda terá "uma resposta da maior gravidade" pelo ocorrido ontem em Roterdã.

Com a polêmica reforma constitucional, o Partido da Justiça e do Desenvolvimento (AKP, sigla em turco) e Erdogan querem introduzir um sistema presidencialista de governo.

Alemanha, Áustria, Suíça e, hoje, Suécia, países que contam com grandes comunidades turcas, também suspenderam e proíbiram alguns atos de políticos turcos que fazem campanha para o referendo.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos