Polícia usa canhões de água para dispersar manifestação de turcos em Amsterdã

Da EFE

Em Haia

  • Marten van Dijl/AFP

    Polícia holandesa confronta manifestantes perto do consulado turco em Roterdã, após a ministra da Família Turca ser impedida pela polícia de entrar no consulado turco e escoltada para fora do país

    Polícia holandesa confronta manifestantes perto do consulado turco em Roterdã, após a ministra da Família Turca ser impedida pela polícia de entrar no consulado turco e escoltada para fora do país

A polícia da Holanda dispersou com canhões de água uma manifestação realizada neste domingo em Amsterdã por cidadãos turcos partidários do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan.

O protesto começou na última hora da tarde, e alcançou seu ponto mais tenso por volta das 22h45 (horário local, 18h45 de Brasília), o que acarretou a intervenção de uma equipe especial da polícia antidistúrbios que utilizou canhões de água para dispersar os manifestantes.

Cidadãos turcos convocaram hoje nas redes sociais um protesto contra o veto holandês à visita de dois ministros de Ancara aos Países Baixos, que pretendiam realizar um comício a favor do plebiscito constitucional do próximo dia 16 de abril convocado pela Turquia, que pretende ampliar os poderes do presidente Erdogan.

O prefeito de Amsterdã, Eberhard van der Laan, que autorizou o protesto, o deu por terminado por causa dos distúrbios e devido à alteração da ordem pública que acarretou.

Os manifestantes, que levavam bandeiras turcas e gritavam palavras de ordem a favor do governo de Ancara, obstaculizaram o trânsito, bloqueando via e intersecções, e lançando fogos, morteiros e outros materiais pirotécnicos.

Outros grupos também se concentraram ao mesmo tempo em Amsterdã, mas seu protesto transcorreu de maneira pacífica, da mesma forma que ocorreu em Haia.

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, pediu aos turco-holandeses que mantenham "a cabeça fria" para que não voltem a se repetir os enfrentamentos da madrugada passada em frente ao consulado turco em Roterdã.

Pelo menos 12 pessoas foram detidas nesse protesto, e um agente ficou ferido quando a polícia tentou pôr fim à manifestação usando canhões de água e cachorros.

As autoridades holandesas impediram no sábado passado a aterrissagem do avião do ministro das Relações Exteriores turco, Mevlüt Çavusoglu; e sua companheira de gabinete, a ministra de Assuntos Familiares, Fatma Betül Sayan Kaya, foi expulsa dos Países Baixos para a Alemanha.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos