Ex-presidente da Coreia do Sul deve depor como suspeita em caso de corrupção

Seul, 14 mar (EFE).- A Promotoria da Coreia do Sul vai convocar a ex-presidente Park Geun-hye para prestar depoimento como suspeita no caso de corrupção da "Rasputina" que culminou com seu impeachment na última sexta-feira.

Os promotores anunciarão na quarta-feira a data em que ela será chamada para depor, o que pode ocorrer ainda nesta semana, segundo informações de porta-voz aos veículos de imprensa.

Park Geun-hye perdeu sua imunidade na última sexta, quando o Tribunal Constitucional ratificou sua cassação, ao considerar que ela tenha confabulado com sua amiga Choi Soon-sil, apelidada de "Rasputina", para extorquir dinheiro de grandes empresas.

O porta-voz da promotoria afirmou que a investigação continuará, independente das eleições presidenciais, que estão previstas para o dia 9 de maio, e não arriscaria medidas se adotariam no caso da ex-mandatária decida não comparecer, informou a agência "Yonhap".

Apesar de ser considerada suspeita no caso, Park, de 65 anos, estava protegida até o momento com sua imunidade para não precisar depor.

A Constituição sul-coreana estipula que um presidente em exercício não pode ser acusado, exceto nos casos de "traição" e "insurreição".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos