Ex-presidente sul-coreana prestará depoimento no próximo dia 21

Seul, 15 mar (EFE).- A Promotoria da Coreia do Sul afirmou nesta quarta-feira (data local) que a ex-presidente Park Geun-hye irá depor no próximo dia 21, como suspeita no caso de corrupção da "Rasputina" que culminou com seu impeachment na semana passada.

Park deve prestar depoimento na próxima terça-feira, às 9h30 (hora local) e ela é suspeita de 13 crimes, entre eles suborno e abuso de poder, segundo informações passadas por um membro da Promotoria aos veículos de imprensa.

Até o momento, Park estava amparada pela imunidade presidencial para evitar ser investigada, mas este quadro mudou depois que na última sexta-feira, o Tribunal Constitucional ratificou sua cassação ao considerar que ela conspirou com sua amiga Choi Soon-sil, apelidada de "Rasputina", com o objetivo de extorquir dinheiro de grandes empresas.

O representante legal de Park, Som Bum-kyu, havia dito na véspera que a ex-presidente cooperará "de maneira ativa" com os promotores, confirmou em comunicado que recebeu a convocação para o dia 21.

Se Park Geun-hye não comparecer sem apresentar uma justificativa, poderá ser presa, mediante uma ordem judicial.

Ela será a quarta chefe de Estado sul-coreana a prestar depoimento em uma investigação criminosa, depois do general Chun Doo-hwan, Roh Tae-woo e Roh Moo-hyun, que acabou suicidando-se em 2009, pressionado pelos casos de corrupção que envolviam vários de seus familiares.

A trama de corrupção da "Rasputina" fez com que fosse antecipadas as eleições e a primeira cassação de um chefe de Estado desde que o país voltou ao regime democrático, em 1987, e que envolveu também grandes empresas como a Samsung, cujo presidente, Lee Jae-yong, está preso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos