Guterres diz que paz na Síria é "um imperativo que não pode esperar"

Nações Unidas, 15 mar (EFE).- O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou nesta quarta-feira que, ao chegar no sexto aniversário do início do conflito na Síria, a necessidade de alcançar a paz nesse país é um "imperativo que não pode esperar".

Embora os protestos contra o regime de Bashar al-Assad tenham começado de maneira espaçada, em 15 de março de 2011 houve uma mobilização em diferentes pontos da Síria que é considerada o início da revolta civil que derivou em um conflito armado entre grupos da oposição e o governo de Damasco, com o envolvimento posterior de organizações jihadistas.

"Durante seis anos, o povo da Síria foi vítima de um dos piores conflitos de nossa época", afirmou Guterres.

Os últimos dados indicam que a guerra nesse país deixou cerca de 320 mil mortos e milhões de refugiados e deslocados internos.

"A paz na Síria é um imperativo moral e político tanto para o povo da Síria como para o resto do mundo, um imperativo que não pode esperar", acrescentou o secretário-geral da ONU.

Guterres fez uma chamada para que se cumpra e estenda a cessação ao fogo alcançado em 30 de dezembro se possa fazer chegar a assistência humanitária às zonas mais necessitadas "sem obstáculos e impedimentos".

O líder da ONU também pediu que sejam superadas as diferenças para assegurar o sucesso das negociações de paz que a ONU vem impulsionado que devem ser retomadas em Genebra no dia 23 de março. EFE

ag/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos