Muhammad VI descarta Benkirane como próximo chefe de governo do Marrocos

Rabat, 15 mar (EFE).- O rei Muhammad VI descartou nesta quarta-feira Abdelilah Benkirane como próximo chefe de governo do Marrocos após o islamita ter fracassado em formar uma maioria parlamentar estável nos últimos cinco meses, segundo um comunicado do Gabinete Real.

O monarca recebeu Benkirane nesta quarta-feira para agradecer pelos esforços e o comunicou que a tarefa de formação de governo será confiada agora a outra pessoa (que não precisou) do Partido Justiça e Desenvolvimento (PJD), do qual Benkirane é secretário-geral.

Líder indiscutível do partido e o político mais carismático do país, Benkirane recebeu do rei a incumbência de formar governo três dias depois das eleições legislativas de 7 de outubro, que deram a seu partido uma clara maioria, mas não o suficiente para somar mais da metade de cadeiras parlamentares (125 de 395).

No entanto, os partidos com os quais Benkirane contava para formar uma maioria, e principalmente o Reagrupamento Nacional de Independentes (RNI), geraran vários impedimentos até chegar a um beco sem saída.

A Constituição marroquina aprovada em 2011 estabelece que o partido mais votado lidera o governo, o que teoricamente é respeitado quando o monarca coloca a chefia do governo em mãos do PJD.

Um alto cargo do governo marroquino que pediu o anonimato declarou à Agência Efe que nos último cinco meses "não houve intervenção do Palácio" para dificultar as negociações de Benkirane "mas o contrário", pois o rei o incentivou em mais de uma ocasião a acelerar os contatos com outras forças.

A fonte ressaltou que o rei escolheu Benkirane sem pensar duas vezes logo após saber o resultado das eleições, mas que dado o persistente bloqueio "se sente cômodo com esta decisão" de separá-lo do governo.

Os cinco meses de negociações tinham levado a uma situação que se traduziu em "bloqueio da administração, incerteza dos investidores e fraqueza dos atores econômicos", o que levou o monarca a tomar a decisão de descartar Benkirane para sair do impasse.

Nas próximas horas será divulgado o nome do dirigente do PJD que liderará o governo, que será o segundo do partido após o quinquênio (2012-2016) liderado por Benkirane.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos