Reino Unido proibirá deputados de contratar parentes com dinheiro público

Londres, 16 mar (EFE).- Os deputados do Reino Unido não poderão mais contratar parentes com dinheiro público a partir de 2020, determinou uma nova lei sancionada nesta quarta-feira pela Autoridade Independente de Padrões Parlamentares (IPSA).

Até a data, que coincide com o fim da atual legislatura, os deputados poderão manter os familiares já contratados.

"Achamos que a contratação de 'partes vinculadas' está defasada na prática contratual moderna, que requer um processo de recrutamento justo e aberto para promover a diversidade no lugar de trabalho", afirmou a presidente da IPSA, Ruth Evans.

Atualmente, há cerca de 150 parentes contratados pelos deputados. Eles custaram 21 milhões de libras (R$ 81,5 milhões) entre 2010 e 2015, de acordo com dados do jornal "The Guardian".

Segundo o jornal, o salário médio dos familiares contratados pelos deputados é 5,6 mil libras (R$ 21,7 mil) superior ao pago pelos demais funcionários do parlamento, que recebem 31,3 mil libras por ano (R$ 121,44 mil).

Em 2009, uma comissão parlamentar já recomendou proibir a contratação de parentes, mas os deputados se opuseram com o argumento que os familiares estavam dispostos a trabalhar mais horas e, assim, contribuiriam mais.

A IPSA, criada em 2010 para supervisionar as despesas, as receitas e a previdência dos deputados após um escândalo, elaborou a lei após analisar entre maio e outubro do ano passado os custos da atividade parlamentar.

Além da contratação de parentes, a legislação regulará o regime de custos de alimentação em viagens e de hospedagem, assim como as despesas de escritório dos parlamentares.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos