Polícia belga deteve "homem do chapéu" após traição de amigo

Bruxelas, 20 mar (EFE).- A traição de um amigo causou a detenção do suposto jihadista belga-marroquino Mohammed Abrini, "o homem do chapéu", como aparecia nas imagens das câmeras de segurança do aeroporto de Bruxelas em 22 de março de 2016, dia dos atentados jihadistas nos quais morreram 34 pessoas.

Segundo informa nesta segunda-feira o jornal belga "Dernière Heure", Abrini entrou em contato com seu amigo em 7 de abril de 2015, ou seja, 16 dias depois dos atentados contra o aeroporto e a rede de metrô de Bruxelas, que foram reivindicados pelo grupo Estado Islâmico (EI).

O informante, agora sob proteção policial, foi no dia seguinte ao encontro com Abrini, a quem entregou 400 euros e depois foi embora. Minutos depois, a polícia o detinha.

Abrini, que também é acusado de envolvimento nos atentados de Paris de novembro de 2015, nos quais morreram 130 pessoas, não se ateou fogo no aeroporto de Zaventem da capital belga, embora tenha visto s outros dois jihadistas se suicidaram no ataque.

Após o atentado, Abrini retornou ao centro de Bruxelas a pé, em um percurso captado parcialmente pelas câmeras de segurança, e se transformou no homem mais procurado da Europa até que foi preso em 8 de abril de 2016 no bairro bruxelense de Anderlecht.

Desde então, está detido na Bélgica à espera de ser julgado tanto pelos atentados de Bruxelas como pelos de Paris.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos