Nova rodada diálogo terá os mesmos representantes da oposição síria, diz ONU

Genebra, 21 mar (EFE).- A quinta rodada do diálogo de paz sobre o conflito na Síria começará na próxima quinta-feira em Genebra, na Suíça, e nela participarão os mesmos representantes da oposição que estiveram na última reunião.

Esta informação foi confirmada nesta terça-feira pelo escritório do enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, em comunicado no qual se limita a indicar que os participantes serão os mesmos, sem nomeá-los.

Na última reunião, que aconteceu no final de fevereiro, além da delegação governamental, participaram três delegações opositoras: a Comissão Suprema para as Negociações - composta 50% por opositores exilados e rebeldes armados -, a Plataforma do Cairo e o Grupo de Moscou, estas duas últimas formações toleradas pelo regime.

A participação da oposição tinha sido colocada em interdição nos últimos dias devido à ausência dos grupos armados rebeldes na reunião de Astana 3, no Cazaquistão, o encontro que aborda o frágil cessar-fogo em vigor na Síria desde 30 de dezembro.

A ausência na capital cazaque gerou certo temor de que também haveria um boicote ao processo de diálogo em Genebra.

As reuniões desta quinta rodada começarão no dia 23 com reuniões bilaterais com as partes que serão presididas por Ramzy Ezzeldin Ramzy, o assessor de De Mistura.

Nesses encontros, Ramzy "preparará" o formato da rodada, que presumivelmente se desenvolverá de forma indireta, como nas rodadas anteriores, sem negociações diretas entre as partes.

Esta semana, De Mistura visita várias capitais de países com influência sobre as partes para poder reunir apoio para seus esforços diplomáticos.

Após sua visita a Riad, a capital Arábia Saudia, no sábado, esta semana estará em Ancara (Turquia) e Moscou (Rússia), e posteriormente irá a Amã (Jordânia) para informar à Liga Árabe, que estará reuninda na capital jordaniana.

O mediador estará ausente em Genebra na quinta-feira, mas se unirá ao diálogo na sexta-feira, jornada na qual oferecerá uma entrevista coletiva para informar sobre esta nova rodada, seu formato e suas expectativas.

A ideia é que as negociações se prolonguem até 1º de abril, e, durante sua realização, De Mistura se ausentará de vez em quando para prosseguir com suas "consultas" em capitais estrangeiras, de acordo com o texto.

Na última rodada de diálogo, as partes concordaram em retomar as negociações em torno de uma agenda de quatro pontos e o comunicado especifica que assim será na reunião que começará nesta quinta-feira.

Os quatro pontos são a criação de um governo crível, inclusivo e não sectário em um prazo de seis meses; um calendário e o processo para a elaboração, também em seis meses, de uma nova Constituição; a realização de eleições livres e justas supervisionadas pela ONU e com participação da diáspora elegível em um prazo de 18 meses; assim como a luta contra o terrorismo.

O mediador pediu no final da última rodada, tanto às partes como aos Estados com influência sobre elas, que se preparassem "para se comprometerem de forma pró-ativa no conteúdo dos quatro temas em paralelo".

Adicionalmente, o enviado especial ressaltou que espera que esta rodada conte com a participação de mais mulheres de forma ativa, como ele solicitou reiteradamente durante meses.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos