Belgas prestam novas homenagens para vítimas de atentado no ano passado

Bruxelas, 22 mar (EFE).- A família real da Bélgica, representada pelo rei Filipe e a rainha Matilde, acompanhados pelo primeiro-ministro belga, Charles Michel, continuaram nesta quarta-feira as homenagens às vítimas dos atentados do dia 22 de março de 2016 na estação de metrô de Maelbeek, onde um terrorista suicida matou 16 pessoas.

Às 9h11 (horário local, 5h11 de Brasília), os monarcas fizeram um minuto de silêncio na estação, após terem participado de uma homenagem similar no aeroporto de Bruxelas, onde explodiram as primeiras bombas dos dois atentados ocorridos naquele dia.

Eles chegaram na estação e cumprimentaram durante 20 minutos familiares e vítimas do atentado, assim como funcionários do metrô e da equipe de resgate atenderam os feridos no dia do atentado.

O rei Felipe depositou flores em memória das vítimas, momentos antes do minuto de silêncio.

Durante a cerimônia, uma das vítimas e um assessor falaram antes que o ministro-presidente da região de Bruxelas, Rudi Vervoort, inaugurasse uma placa comemorativa.

Depois, as autoridades assistirão a inauguração de um monumento do artista belga Jean-Henri Compère dedicado a todas as vítimas de atos terroristas.

Os atentados jihadistas do dia 22 de março de 2016, os mais graves registrados na Bélgica, deixaram 32 mortos e mais de 320 feridos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos