UE exige libertação de detidos em manifestação anticorrupção na Rússia

Bruxelas, 27 mar (EFE).- A União Europeia (UE) reivindicou nesta segunda-feira a libertação "sem demoras" dos manifestantes "pacíficos" que foram detidos no protesto anticorrupção deste fim de semana na Rússia, entre eles o líder opositor Alexei Navalni.

"Fazemos um apelo às autoridades russas para que cumpram seus compromissos internacionais, inclusive os do Conselho da Europa e da OSCE, fazer valer esses valores, e libertar sem demora os manifestantes pacíficos detidos", afirmou em comunicado a chefe da diplomacia comunitária, Federica Mogherini.

A UE criticou o fato de que a polícia russa, "em uma tentativa de dispersar os manifestantes e com a detenção de centenas de cidadãos, incluído o líder opositor, tenha impedido o exercício da liberdade básica de expressão, associação e assembleia pacífica, que são direitos fundamentais da Constituição russa".

Dezenas de milhares de russos participaram no domingo na jornada nacional de protesto contra a corrupção convocada por Navalny, candidato à presidência, com comícios e manifestações em todo o país, que em Moscou terminaram com centenas de detidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos