Oposição ameaça não participar de diálogo proposto por presidente do Paraguai

Assunção, 3 abr (EFE).- O Partido Liberal disse nesta segunda-feira que não se sentará à mesa de diálogo proposta pelo presidente do Paraguai, Horacio Cartes, enquanto não for retirado o projeto para habilitar a reeleição presidencial, o que gerou protestos em Assunção, que resultaram na morte de um jovem integrante desse partido por disparos da polícia.

O presidente do partido, Efraín Alegre, disse à Agência Efe que outra condição para comparecer a essa mesa é que sejam tomadas medidas contra os comandantes policiais responsáveis pela operação no qual morreu Roberto Quintana, de 25 anos, ocorrida durante a invasão da sede do partido por parte das forças de segurança, na madrugada do último sábado.

Cartes convocou ontem, através de uma mensagem televisionada, para uma mesa de diálogo os presidentes dos partidos políticos "com representação parlamentar", das duas Câmaras do Congresso, assim como representantes da Conferência Episcopal Paraguaia (CEP).

A CEP anunciou hoje que estará presente nas conversas, para as quais Cartes ainda não estipulou uma data.

Após a morte de Quintana, Cartes destituiu o ministro do Interior, Tadeo Rojas, e o chefe da Polícia Nacional, Críspulo Sotelo.

Além disso, quatro policiais foram detidos e prestaram depoimento no sábado ao Ministério Público pela morte do jovem.

A morte de Quintana aconteceu depois que grupos de manifestantes incendiaram parte do edifício do Congresso na tarde da última sexta-feira e entraram em confronto com a polícia, que feriu várias pessoas com disparos de balas de borracha, entre elas o deputado liberal Edgar Acosta.

Os incidentes começaram depois que 25 senadores votaram a favor do projeto de emenda constitucional para permitir a polêmica reeleição presidencial.

A votação teve o apoio de legisladores do Partido Colorado, de Cartes, da Frente Guasú, do ex-presidente paraguaio Fernando Lugo, e de alguns senadores liberais contrários à corrente de Alegre.

Cartes e Lugo querem concorrer às eleições de 2018.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos