Opositor diz que não vai reconhecer resultados "ilegítimos" no Equador

Quito, 3 abr (EFE).- Guillermo Lasso, candidato opositor à presidência do Equador, insistiu nesta segunda-feira na existência de supostas "irregularidades" no processo eleitoral do país e afirmou que "os ilegítimos resultados" do pleito, que de acordo com os dados oficiais parciais foi vencido pelo candidato governista, não podem ser reconhecidos.

"As provas de irregularidades no processo eleitoral são muitas. Por isso, não podemos reconhecer os ilegítimos resultados", escreveu Lasso no Twitter, candidato do movimento Creando Oportunidades (CREO, centro-direita).

Lasso também pediu a seus correligionários que se mantivessem nos arredores das distintas delegações do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) no país.

"Peço a todos, pacificamente, que sigamos nos arredores de nossa delegação do CNE exigindo transparência. Esgotaremos todas as vias políticas e jurídicas, no Equador e no exterior, para que se respeite a vontade popular que pediu uma MUDANÇA", acrescentou o candidato.

"A luta continua amigos. Não baixemos os braços nem um segundo", frisou Lasso.

O candidato governista à presidência do Equador, Lenín Moreno, conta com 51,16% dos votos com a apuração 99,06% concluída, enquanto Lasso tem 48,84% dos votos, segundo o site do Conselho Nacional Eleitoral (CNE).

O opositor Jaime Nebot, prefeito de Guayaquil, uma das cidades mais populosas do Equador, assegurou que há "denúncias de irregularidades" e por isso exigiu que se "respeite o direito do CREO demonstrar documentadamente o prejuízo alegado".

"É preciso defender a democracia e a transparência da vontade popular expressada no voto. Vamos fazê-lo com firmeza, mas também com a serenidade necessária", disse Nebot. Já o candidato opositor à vice-presidência, Andrés Páez, pediu a seus seguidores no Twitter para manterem a vigilância.

"Temos que continuar nos arredores do CNE. Nossos votos têm que ser respeitados", disse o opositor.

Lenín Moreno, que garantiu que vai governar o país para todos os equatorianos, agradeceu hoje a saudação internacional que recebeu após a divugação dos resultados oficiais parciais.

"Agradeço aos presidentes latino-americanos seus telefonemas e mensagens de felicitação e afeto. Fortaleceremos nossa integração!", escreveu no Twitter o presidente eleito.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos