Reino Unido descarta hipotético uso de força para defender Gibraltar

Londres, 3 abr (EFE).- O governo britânico descartou nesta segunda-feira um possível uso da força militar em Gibraltar para defender o território, informou um porta-voz da residência oficial no número 10 do Downing Street, como tinham sugerido algumas vozes conservadoras.

"Isto não vai acontecer", indicou a fonte, após a polêmica gerada ao serem reveladas as linhas negociadoras da União Europeia com Londres, que indicam que nenhum acordo entre as partes poderá ser aplicado em Gibraltar sem um prévio acordo entre o Reino Unido e a Espanha.

Por causa dessa linha de negociação, o antigo líder conservador Michael Howard sugeriu ontem que a primeira-ministra, Theresa May, seria tão firme com Gibraltar quanto Margaret Thatcher foi com as Ilhas Malvinas, ao enviar em 1982 uma força militar para defendê-las da Argentina.

"Tudo o que Lorde Howard estava tentando estabelecer é nossa resolução para proteger os direitos de Gibraltar e sua soberania", indicou o porta-voz do Downing Street.

Ontem, Howard declarou a jornalistas que "há 35 anos, esta semana, outra mulher primeira-ministra enviou uma força naval ao outro lado do mundo para defender a liberdade de outro pequeno grupo de britânicos contra outro território de língua hispânica".

"Estou totalmente certo de que nossa atual primeira-ministra mostrará a mesma resolução em defender o povo de Gibraltar", afirmou.

Gibraltar não foi mencionado na carta que May enviou a Bruxelas na quarta-feira passada para ativar o Artigo 50 do Tratado de Lisboa, dando início às negociações sobre os termos da retirada britânica do bloco europeu. Em resposta a essa carta, a UE divulgou na sexta-feira as linhas de negociação, que indicam que nenhum acordo, uma vez que o Reino Unido abandone o bloco comunitário, poderá ser aplicado a Gibraltar se antes não existir um acordo entre os Executivos de Londres e Madri.

Por conta das declarações de Howard, o presidente do Comitê de Inteligência e Segurança do parlamento britânico, Dominic Grieve, qualificou hoje de "apocalíptico" sugerir que o Reino Unido estaria disposto a ir à guerra para defender Gibraltar.

Gibraltar é um território britânico ultramarino desde 1713 e em um referendo feito em 2002 rejeitou com 99% dos votos a possibilidade de uma soberania compartilhada com a Espanha.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos