Russo de origem quirguiz é autor do atentado em São Petersburgo

Moscou, 4 abr (EFE).- Akbarzhon Dzhalilov, um cidadão russo de origem quirguiz, é o responsável pelo atentado terrorista realizado ontem no metrô de São Petersburgo, no qual 14 pessoas morreram, informou o Comitê de Instrução da Rússia (CIR) nesta terça-feira.

"A investigação estabeleceu a identidade do homem que perpetrou a explosão no vagão do metrô de São Petersburgo. Se trata Akbarzhon Dzhalilov, nascido em 1 de abril de 1995", informou a porta-voz do CIR, Svetlana Petrenko, a imprensa local.

Ela explicou que, conforme as análises genéticas e as imagens das câmaras de segurança, Dzhalilov foi também quem colocou a segunda bomba em outra estação do metrô que foi desativada pela Polícia.

"Os criminalistas acharam rastros genéticos de Dzhalilov na bolsa deixada na estação de 'Ploshchad Vosstaniya' onde a bomba foi encontrada", afirmou.

Dzhalilov, que trabalhava em uma oficina em São Petersburgo, nasceu no Quirguistão, mas recebeu a cidadania russa em 2011.

Anteriormente, a porta-voz do CIR já tinha informado que a explosão podia ter sido provocada por um terrorista suicida e que "a bomba poderia ter sido ativada por um homem cujos restos mortais estavam no terceiro vagão do trem".

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, também afirmou que foi aberta a possibilidade de o atentado ter sido cometido por um terrorista suicida, como os feitos em 2010 por "viúvas negras" no metrô de Moscou, onde morreram 34 pessoas.

A imprensa russa disse ontem que nas proximidades do vagão tinha sido encontrada a cabeça do terrorista suicida que carregava os explosivos junto ao corpo.

Os serviços secretos do Quirguistão informaram esta manhã que tudo indica que um cidadão oriundo dessa república centro-asiática poderia ser o autor do atentado de São Petersburgo e o identificaram como Akbarzhon Dzhalilov.

Este assunto foi abordado hoje em Moscou pelo ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, e o titular da mesma pasta quirguiz, Erlan Abdyldaev, que condenou firmemente o atentado terrorista. Abdyldaev, contudo, considerou prematuro assegurar que o terrorista era membro do grupo terrorista Estado Islâmico.

Os pais de Dzhalilov, moradores de Osh, no Quirguistão, estão sendo interrogados pelos órgãos competentes.

Como forma de prevenir novos atentados, as autoridades russas reforçaram as medidas de segurança em toda a cidade e em Moscou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos